Central aposta em Estevam Soares para temporada 2019

Pedro Augusto

O Central Sport Club, o maior time do Interior do Estado, já tem treinador para temporada 2019. Em coletiva realizada, na tarde de hoje, na Sala de Imprensa Jornalista Souza Pepeu, a diretoria alvinegra anunciou o nome de Estevam Soares como o mais novo técnico da Patativa.

Com passagens por vários clubes de expressão do país tanto como jogador quanto como técnico, Estevam terá a missão de levar o Central ao topo no ano de seu centenário.

De acordo com o diretor de futebol, Sivaldo Oliveira, o nome de Estevam Soares era tratado como prioridade no período em que a Patativa iniciou o processo de escolha do novo treinador.

“Ficamos bastante satisfeitos com a sua contratação, pois o Estevam é um excelente profissional, ou seja, já treinou vários clubes de expressão nacional do país como o Palmeiras, o Botafogo, o Ceará, a Ponte Preta, dentre outros, e o seu nome estava sendo tratado como prioridade por parte da diretoria. Ele tem o perfil arrojado, já conquistou títulos e, com certeza, será um dos expoentes do clube na temporada de seu centenário”, destacou Sivaldo.

Estevam deve iniciar os trabalhos em campo visando à disputa do Estadual 2019 na primeira quinzena de dezembro. O experiente treinador assinou contrato com o clube até o fim da próxima Série D.

Carreira

Como jogador

De estilo viril,[1] Estevam começou a carreira no Guarani, mas contundiu-se no fim de 1976 e foi dispensado, seguindo para o XV de Jaú.[2] Depois de um Campeonato Paulista em que se destacou, chegando à Seleção Paulista de novos,[2] foi contratado pelo São Paulo, onde conquistaria o Campeonato Brasileiro de 1977. Pelo time da capital paulista, disputou 105 jogos, marcando um gol.[1]

Defendeu o São Paulo até o fim de 1979. Entre 1985 e 1986 esteve no Bahia e foi em 1987 para o Sport, onde conquistou o Campeonato Brasileiro de 1987, sendo o capitão do time.[3] No ano seguinte, foi para o Vitória. Jogou ainda no Joinville e no Primavera de Indaiatuba. Encerrou a carreira em 1993.[4]

Como treinador

Quando chegou ao Primavera como jogador, já tinha a proposta de treinar o time quando se aposentasse, algo em que já pensava por comentários de técnicos com que trabalhou, como Orlando Fantoni.[4] Assumiu o time em 1993. Em 1997, conquistou o único título de sua carreira, o Campeonato Potiguar, com o América de Natal. Em 2003 comandou o Gama na campanha que rebaixou o time da Série B para a Série C.[4]

No ano seguinte chegou pela segunda vez à Ponte Preta, time que o tinha dispensado em 2000 — Estevam diz que por influência da Penalty, patrocinadora do time, e até da Federação Paulista de Futebol[4]— e fazia boa campanha no Campeonato Brasileiro, quando foi convidado para dirigir o Palmeiras,[5] onde teve um início arrasador, chegando a liderar o torneio.[6] Acabou na quarta posição e conseguiu a vaga na Libertadores, mas foi demitido ainda no começo do ano seguinte. Ainda no Palmeiras Estevam se envolveu em 2005 como uma grande polêmica com Diego Souza ao discutir de maneira forte com o técnico, depois de ser colocado em campo pelo treinador e substituído apenas sete minutos depois no empate por 2 a 2 com o União São João, pelo Campeonato Paulista. Eles bateram boca no banco de reservas, e o caso repercutiu. Depois, Estevam Soares bateu forte, dizendo que Diego Souza havia entrado mal na partida porque havia caído na noite antes da partida. com isso o meio-campista foi afastado do elenco e emprestado ao Vissel Kobe, do Japão. Estevam acabaria demitido dias depois pela diretoria alviverde.[7]

Em 2008 foi chamado para treinar o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, e lá impressionou-se com o profissionalismo do time. “Sou profissional e, se precisar, volto a trabalhar no Brasil”, disse ele ao jornal O Estado de S. Paulo em 13 de abril. “Mas aqui o respeito ao profissional é muito maior. Na assinatura do contrato, você recebe 50%, e não são dois ou três tropeços que te levam à demissão.”[8] Na mesma entrevista, manifestou o desejo de trabalhar no Golfo Pérsico. No mesmo ano de 2008 Estevam foi contratado como treinador da Portuguesa, com a incumbência de salvar o time do rebaixamento. Em 2009 foi para o Guaratinguetá e depois foi contratado pelo Grêmio Barueri, que passou todo o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na parte de cima da tabela de classificação. Deixou o clube para assumir o Botafogo após a queda de Ney Franco. Sua estreia foi em 15 de agosto, contra o Palmeiras, jogo que terminou empatado em 1 a 1.

No dia 25 de janeiro de 2010, Estevam foi demitido do Botafogo, depois de perder um clássico em pleno Engenhão para o Vasco da Gama por 6 a 0. No dia 13 de junho foi contratado pelo Ceará para substituir PC Gusmão.

Em 8 de agosto de 2010, após um empate sem gols com o Atlético-GO – completando seis jogos sem vitória -, foi demitido do Ceará. Em 8 de fevereiro de 2011 acertou contrato até o final do Paulistão, com o São Bernardo. Em 1 de agosto foi contratado pelo Grêmio Barueri, mas pouco menos de um mês depois foi recontratado pelo Ceará.[9] Sem resultados positivos, foi demitido em 23 de outubro, após apenas 41 dias no comando do clube.

Em dezembro Estevam acertou com o Oeste, para comandar o clube no Campeonato Paulista de 2012, mas foi demitido após não vencer nas cinco primeiras rodadas do campeonato. Já em 14 de fevereiro, menos de uma semana após sua saída do Oeste, foi anunciado como novo técnico do XV de Piracicaba. Em 13 de junho voltou ao Grêmio Barueri.[10]

Em 2013, Estevam Soares acertou com o Atlético Sorocaba, para comandar a equipe no Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Em 23 de fevereiro, pediu para ser dispensado, depois da derrota por 3 a 1 diante do Paulista de Jundiaí. Estevam não conseguiu fazer a equipe de render como o esperado, e o Atlético conquistou apenas seis pontos em nove jogos do Paulistão.

Em março de 2014, acertou com o CSA, mas deixou a equipe alagoana em março, com apenas uma vitória em quatro jogos disputados.

No dia 11 de março de 2015, o Rio Claro Futebol Clube acertou a contratação de Estevam Soares para comandar a equipe paulista, no restante do campeonato paulista série A1, depois de quase um ano desempregado.[11] Meses depois, foi contratado novamente como treinador da Portuguesa.[12] Após dois jogos em 2016 (um empate com o Barretos e uma derrota para o Juventus, na Série A2), Estevam Soares deixou o comando da Portuguesa.

Em 09.06.2016 foi contratado pelo Tupi de Juiz de Fora.

Em março de 2017 foi contratado pela Portuguesa. Foi demitido em 30 de maio de 2017 após derrota para o Bangu na Série D.

Em 9 de fevereiro de 2018, o Vitória da Conquista acertou a contratação de Estevam Soares para melhorar o futebol da equipe baiana, que realizava uma campanha irregular no Estadual.Com o fim do Estadual e o contrato de quatro jogos expirado, Estevam deixou o comando do clube baiano.

Em 3 de abril, ele foi anunciado como novo treinador do Itumbiara para o segundo semestre: visando ao acesso à Série C do Brasileirão, Estevam comandou o clube goiano pela primeira vez.

Dados: Wikipédia

PUBLICIDADE

Comentários