Meningite causa as mortes de dois menores no Agreste

Duas mortes causadas por meningite deixaram em alerta, órgãos de saúde pública e moradores do Agreste pernambucano. Uma criança e um adolescente, moradores do município de Cachoeirinha, foram a óbito devido à doença em apenas uma semana. As mortes ocorreram em hospitais de Caruaru e Bezerros, unidades onde as crianças foram encaminhadas já em estado grave.

Na última terça-feira (9), José Samuel Alves Costa, de apenas 3 anos, deu entrada no Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru, e morreu no dia seguinte, na quarta-feira (10). O pai da criança, Sinval Alves de Melo, contou que o filho estava com muita febre e teve o quadro agravado ainda em Cachoeirinha, onde mora a família. “Além de muita quentura por todo o corpo, ele também começou a reclamar de ânsia de vômito. Foi aí, que o hospital daqui fez o encaminhamento para Caruaru”, detalhou o pai ainda consternado com a perda do filho.

A morte do pequeno Samuel foi o segundo óbito causado por meningite. O primeiro havia sido registrado no último dia 5, no Hospital Jesus Pequenino, em Bezerros. Rafael Zubem, 13, que faleceu apresentando os mesmos sintomas. De acordo com a Secretaria de Saúde de Cachoeirinha e com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), os dois casos foram classificados como Meningite Purulenta. Os órgãos trabalham juntos para verificar o agente causador, que pode ser provocado por vírus ou bactérias.

O diretor da IV Gerência Regional de Saúde (Geres), sediada em Caruaru, Djair Ferreira, tranquiliza a população. “Por não se tratar de meningite tipo meningocócica, a gente sabe que é mais difícil a transmissão e que quando se faz o tratamento de outras meningites de maneira ágil, se tem um resultado mais eficiente”, comentou. A SES, juntamente com a Geres, está realizando as investigações dos dois casos e que, até o fechamento desta edição, não havia sido identificada nenhum tipo de relação ou contato entre o menino e o adolescente.

A secretária de Saúde de Cachoeirinha, Larissa Rabelo, disse que uma campanha de vacinação foi concluída no dia 31 de maio deste ano, mas que, diante dos dois óbitos registrados, outras providências foram tomadas. “Como precaução, nas creches e também nas escolas orientamos os gestores a solicitarem dos pais dos alunos o cartão de vacina das crianças para auxiliarem na atualização do mesmo”, disse Larissa, acrescentando que nos Postos de Saúde do município estão disponíveis vacinas para crianças entre 11 e 14 anos.

Em nota, a SES informou que: “Foram realizadas coletas de material de ambos para análise pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. O objetivo é verificar o agente causador do quadro, que pode ser provocado por diversos tipos de bactérias e vírus”. O órgão ainda pontuou que: “as vítimas não apresentavam a clínica compatível com doença meningocócica, que tem transmissibilidade de pessoa a pessoa”.

Estatística da doença em Pernambuco – Em 2019, até 22 de junho, foram notificados 24 casos da doença meningocócica, com 13 confirmações e duas mortes. Em 2018, foram 28 casos confirmados com 4 mortes; e em 2017 foram 17 casos e 2 mortes.

 

PUBLICIDADE

Comentários