Santa Cruz e Salgueiro definem novo campeão estadual nesta quarta

Chegou o dia de cruzar os dedos, entrelaçar as mãos, olhar aos céus – ou às paredes, em tempos de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus – e pedir por um gol. Mais até, se possível, já que esse momento é o ápice do futebol. Às 21h30 desta quarta-feira (5), Santa Cruz e Salgueiro entram em campo, no estádio do Arruda, para travar a batalha final do Campeonato Pernambucano 2020, em jogo que vale a taça da competição. Uma edição, é fato, bem diferente do “normal”, com meses de paralisação, arquibancadas sem torcida. Mas o esporte continua mexendo com as emoções como sempre. Como o primeiro confronto terminou em 1×1, em caso de novo empate a decisão será nos pênaltis. Do contrário, quem vencer terá como única preocupação correr para o abraço e soltar o grito de campeão da garganta.

Longe de querer ser surpreendido em seus domínios, o Tricolor pode ser campeão invicto do Estadual pela segunda vez. Feito antes visto em 1932, quando o clube bateu o extinto Íris por 4×1, nos jogos de ida e volta, e conquistou, na época, o seu segundo troféu do Pernambucano. Para repetir a alcunha, após quatro anos sem sentir o gosto de um título estadual, a Cobra Coral terá sob os pés um amuleto da sorte: o Arruda.

Não por acaso, o Tricolor não perde sob seus domínios, em estaduais, desde o dia 10 de abril de 2017, ocasião em que foi derrotado por 2×1 pelo Náutico. Mais de dois anos de invencibilidade que, certamente, aumentam a confiança do elenco comandado por Itamar Schülle para agarrar o 30° Pernambucano da história do clube. Em 2020, em um total de 11 jogos pelo campeonato, são cinco triunfos e um empate em casa.

Salgueiro
Assim como nas duas outras oportunidades em que chegou à final do Estadual – em 2015, contra o Santa Cruz, e em 2017, contra o Sport -, o Salgueiro abriu a decisão desta temporada jogando em casa, mas não conseguiu transformar isso em vantagem. Mais uma vez, apenas empatou no Cornélio de Barros. Apesar de o histórico não ser favorável, já em ambas as ocasiões anteriores o Carcará acabou derrotado na Capital, o time sertanejo segue confiante de que o desfecho, agora, será diferente.

Para isso, conta com algumas peças que podem dar um gás a mais na busca pelo inédito título do Pernambucano. O técnico português Daniel Neri tem algumas cartas na manga em seu plantel para esse jogo decisivo. Buscando surpreender, ele mexeu na equipe que vinha atuando anteriormente para a partida de ida da final. Muller Fernandes, artilheiro do time com quatro gols, tinha sido reserva na semifinal do Estadual, mas ganhou a posição entre os 11 iniciais e mandou Tarcísio para o banco. A alteração deixou o Carcará mais disposto ofensivamente, em um 4-4-2 com Ciel e Fernandes no ataque.

As possibilidades de mexer na formação criam certa expectativa por possíveis novidades nesta noite, apesar de a probabilidade maior ser pela manutenção da espinha dorsal lançada no jogo de ida. Ciel e Muller Fernandes, inclusive, aparecem como pilares da equipe, ao lado do zagueiro Ranieri e do volante Bruno Sena.

Do extremo Sertão à Capital, o fato é que Pernambuco amanhecerá nesta quinta-feira (6) com a certeza com novos capítulos escritos na história do futebol estadual.

Ficha técnica

Santa Cruz
Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves e Fabiano; André, Paulinho e Didira; Derlis Alegre (Jeremias), Pipico e Victor Rangel. Técnico: Itamar Schülle

Salgueiro
César Tanaka; Sinho, Ranieri, Arthur e Daniel Rodrigues; Bruno Sena, Willian Daltro e Renato; Alison, Ciel e Muller Fernandes (Tarcisio). Técnico: Daniel Neri

Local: Estádio do Arruda (Recife/PE)
Horário: 21h30
Árbitro: Diego Fernando.
Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira
Transmissão: TV Globo e Premiere

Folhape

Comments

comments