Caruaruenses não respeitam confinamento e lotam ruas

PUBLICIDADE

Considerada uma das cidades mais importantes do Interior, Caruaru tem hoje mais de 400 mil habitantes, mas seu raio de influência atinge de forma direta mais de 1,5 milhão de pessoas de várias regiões do Nordeste. São visitantes que buscam o que a cidade oferece através de seus polos médico, educacional e, principalmente o comércio.

Na cidade foi registrado dois casos de contaminação. Um deles se trata de uma pessoa de mais de 90 anos, que encontra-se internada em um hospital particular, no Recife, bem como o outro de uma médica, que viajou e está em casa de quarentena.

Na Rua Capital João Velho onde estão agências da Caixa Econômica, Santander e Bradesco, nem parece que está tudo parado. Clientes dessas agências se misturam ao forte comércio ambulante que é montado em plena via. “É uma oportunidade que vejo para tirar meu sustento. Não tenho como fazer feira se eu não trabalhar”, disse o ambulante João Marcos de Oliveira Lins, que aproveitou a aglomeração para vender água mineral.

Nas ruas Tobias Barreto, XV de Novembro, São Sebastião e Praça dos Guararapes, alguns estabelecimentos abriram uma pequena parte de suas portas e continuam recebendo clientes. “Não tem ninguém entrando na loja. Só vim fazer uma entrega”, justificou um comerciante da Rua São Sebastião que pediu para não ter seu nome revelado.

Os caruaruenses precisam levar a sério o novo coronavírus e as mortes que ele está causando. Ficar em casa, ainda é a melhor solução para evitar a propagação do Covid-19. Um exemplo é a Itália que não levou a sério o confinamento e agora é o país onde morreu mais pessoas superando inclusive à China, local onde surgiu o problema. Até ontem, o país registrou 12.428 mortes de italianos, desde 21 de fevereiro quando foi registrado o primeiro óbito.

Do Blog do Wagner Gil