Pernambuco estuda retomar atividades a partir do dia 1º

PUBLICIDADE

Com decreto de quarentena rígida em vigor em cinco municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) até domingo (31), o Governo de Pernambuco tem um plano de retomada das atividades traçado e com expectativa de ser iniciado a partir da segunda-feira (1º).

Para ser de fato colocado em prática, no entanto, depende dos indicadores da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) no que diz respeito aos índices de novos casos e de internações relacionadas à Covid-19.

Nesta quinta-feira (28), o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, disse que haverá uma reunião no final de semana para debater justamente esses passos. “Nossa expectativa é torcer para que os dados da saúde possam apresentar sinais de melhora. Do sábado para o domingo, deveremos fazer uma avaliação para colocar quais são as medidas que poderão funcionar a partir de segunda-feira. Temos um plano, mas aguardamos os dados da saúde para que possamos divulgar a partir do domingo”, disse ele.

O secretário explicou que esse plano foi estruturado por um corpo técnico do governo, conduzido pelas Secretarias de Desenvolvimento Econômico, Planejamento e Gestão, da Fazenda, do Trabalho e Qualificação e de Desenvolvimento Urbano, com o apoio de uma consultoria externa. Cada atividade econômica foi avaliada em particular, considerando os riscos sanitários e a essencialidade na economia do Estado, bem como a geração de empregos.

O estudo prevê uma retomada gradativa, respeitando as orientações sanitárias e com um período de 11 semanas para ser totalmente posto em prática. A data de início da estratégia vai depender justamente de um conjunto de indicadores definidos pelas autoridades sanitárias e científicas que fazem parte do Gabinete de Enfrentamento ao novo coronavírus.

“Estabelecemos um cronograma que prevê a retomada gradativa e planejada das atividades econômicas em um período de 11 semanas E que está atrelado aos dados de evolução da pandemia no Estado. Também apresentamos aos setores produtivos um plano com horários diferenciados para cada um deles com o objetivo de reduzir o numero de trabalhadores nos transportes públicos nos horários de pico. Cada atividade econômica terá um protocolo de funcionamento especifico baseado em três eixos, que são regras de distanciamento social, de higiene e de comunicação e monitoramento”, detalhou Schwambach. “Sem vacina ou medicamento comprovadamente eficaz, todos teremos que conviver com a doença. Nosso plano pesa quais atividades têm menos impacto nas curvas de contaminação e a relevância econômica de cada setor para definir o cronograma de liberação”, completou.

Folhape