Em busca de 1ª vitória na Série B, Náutico recebe o Juventude na estreia de Gilson Kleina

PUBLICIDADE
O jogo diante do Juventude pode ser o divisor de águas necessário para o Náutico retomar o bom desempenho e partir, finalmente, em busca da briga pelo acesso. Um fator primordial para que essa pretensão se desenvolva estará no banco de reservas, pois após ser anunciado na semana passada e esperar uma semana até regularizado, o técnico Gilson Kleina fará sua estreia pelo Timbu, hoje, às 16h30, no estádio dos Aflitos.
Além de buscar a vitória diante do Juventude para subir na tabela, Kleina terá como desafio a melhoria dos números do Náutico em casa em 2020. Conhecido por exercer uma grande pressão nos adversários, os Aflitos não vem ajudando o clube na busca de resultados positivos no ano. Foram apenas três vitórias em 13 partidas no ano, retrospecto muito diferente do que se apresentou no ano passado, temporada de retomada do “caldeirão”, quando os alvirrubros tiveram como vítimas até mesmo o próprio Juventude, nas semifinais da Série C.
O histórico de partidas entre Náutico e Juventude é pequeno quando se trata de suas agremiações centenárias. Os gaúchos estiveram no caminho alvirrubro apenas seis vezes em partidas oficiais. A vantagem é pernambucana com duas vitórias contra apenas uma dos alviverdes. Pela Série B, foram apenas dois encontros, que terminaram empatados em 1 a 1 e 0 a 0, na temporada 2017.
Sem muito tempo para trabalhar, pois teve apenas uma sessão de treinamento com os titulares, que foi realizada na última sexta-feira, Kleina não deve mexer muito na estrutura da equipe. A única mudança deve ser o retorno de Rhaldney, que estava suspenso contra o Vitória à cabeça de área. Segundo o treinador, o desejo é de criar uma identidade no time, mas para isso o primeiro passo é o triunfo diante do time da Serra Gaúcha.
“Estamos trabalhando para criamos a nossa identidade, é uma identidade forte, os jogadores estão demonstrando isso até nos treinos. Nossa maior preocupação é a recuperação desses atletas para o jogo muito importante que é amanhã contra o Juventude, mas nós temos que superar alguns obstáculos e amanhã mais do que nunca tentar superar essa situação para a gente poder sair com a vitória”, apontou.

Como vem o Juventude

Empatado em pontos com a Chapecoense, último clube dentro do G4, com sete pontos, o Juventude tentará se recuperar na competição diante do Náutico após dois jogos sem vencer. Com a equipe desgastada devido à atual sequência de jogos e atento ao jogo pela terceira fase da Copa do Brasil diante do América-RN, o técnico Pintado pode preservar até quatro jogadores da partida diante do Timbu, entre eles o experiente meia Renato Cajá, um dos destaques da equipe.

Ficha do Jogo

Náutico 
Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Wilian Simões; Rhaldney, Jorge Henrique e Jean Carlos; Erick (Thiago), Dadá Belmonte e Salatiel Júnior. Técnico: Gilson Kleina.
Juventude
Luís Carlos, Luis Ricardo (Wellington Silva), Augusto, Reynaldo, Hélder, João Paulo (Tarta), Gabriel Bispo, Marciel, Renato Cajá (Gabriel Terra), Breno Lopes (Rafael Silva) e Dalberto. Técnico: Pintado.
 
Local: Estádio dos Aflitos
Horário: 16h30
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Leila Naiara Moreira da Cruz (FIFA-DF) e Lucas Torquato Guerra (DF)
Diario de Pernambuco