“Não estou preparada para ser presa e não vou ser”, diz Flordelis

PUBLICIDADE

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) deu sua primeira entrevista após ser denunciada como mandante do assassinato do seu marido, o pastor Anderson do Carmo. Ela falou com o jornalista Roberto Cabrini, do SBT.

Segundo o jornal Extra, durante a entrevista, Flordelis, que também é pastora e cantora gospel, declarou-se inocente das acusações. “Não estou preparada para ser presa e não vou ser. Sou inocente e tenho certeza que minha inocência será provada nos próximos dias”, afirmou.

A deputada negou, ainda, as suspeitas de havia premeditado o crime porque não podia se separar de Anderson. “Isso não existe. Não existe ‘escandalizar o nome de Deus’. Se eu tivesse que me separar, eu me separaria”, disse.

De acordo com a revista Isto É, Flordelis também afirmou que não escreveu as mensagens encontradas em seu celular. Ela pediu, assim, que a Justiça descobrisse quem havia escrito: “Eu preciso saber quem matou meu marido. Eu não sei. Se eu soubesse, eu falaria aqui agora. Quem matou meu marido está desgraçando com minha vida. Eu não estou escondendo nada”.

Na entrevista, a deputada Flordelis alegou não se lembrar do dia seguinte ao crime. “Me lembro de algumas coisas do dia do assassinato. Eu achava que teria sido roubo”, disse. Ela afirmou, ainda, que, no momento do assassinato, estava no terceiro andar da casa. Segundo a pastora, ela ouviu tiros e gritaria e, quando chegou ao local,o marido já estava sendo socorrido.

Anderson do Carmo foi morto em junho de 2019. Ele e Flordelis ficaram conhecidos por adotarem mais de 50 filhos.

Folhape