Em boa atuação no Sul, Náutico domina, mas perde por 2 a 1 para o Brasil de Pelotas

PUBLICIDADE
A oportunidade era boa, mas não foi dessa vez que o Náutico colou no G4 da Série B. Enfrentando o Brasil de Pelotas, no Sul, o Alvirrubro até foi melhor, depois de um grande primeiro tempo, mas sofreu um gol ainda no início do jogo, perdeu boas chances, falhou na defesa e saiu de campo derrotado por 2 a 1. O gol pernambucano foi marcado por Dadá Belmonte. Sousa e Gabriel Poveda (de pênalti), marcaram os tentos da vitória. O jogo marca a segunda derrota alvirrubra no certame, encerrando a invencibilidade de seis jogos.
Com o tropeço, o Náutico perde uma posição e é 10º na Segundona, ainda podendo perder mais uma posição até o final da rodada. Com uma semana cheia para treinar, o Timbu volta a campo às 19h do sábado, recebendo o Botafogo de Ribeirão Preto. O Brasil, 12º, visita o Guarani às 11h.

O JOGO

O Náutico começou a partida buscando mais o jogo, gerando boas oportunidades e dando trabalho ao goleiro Rafael Martins. Mas, logo aos 15, os gaúchos abriram o placar. Em um chutaço do meio da rua, o volante Sousa bateu com efeito e estufou as redes alvirrubras em um golaço. Mas a resposta não foi imediata por detalhes, com Erick batendo colocado, da entrada da área, para uma grande defesa de Rafael Martins.
Em um jogo de boa intensidade, o Náutico não tinha dificuldade para chegar ao ataque. Com maior posse de bola e total domínio no meio de campo, o Alvirrubro jogava melhor, mas, ou pecava na finalização, ou parava na boa atuação do arqueiro xavante. Ainda assim, o Brasil de Pelotas parecia confortável em focar seu jogo nos lances de contra-ataque, buscando a velocidade sempre que o Náutico abria espaço, algo impulsionado pelos erros de passe do Timbu.

SEGUNDO TEMPO

O Náutico voltou com tudo. Logo aos três minutos, Rhaldney bateu forte de fora e Dadá Belmonte aproveitou o rebote do goleiro Rafael Martins para empatar o placar. No minuto seguinte, porém, o árbitro indicou pênalti de Hereda sobre Gabriel Poveda, em lance polêmico, Na cobrança, Jefferson ainda chegou na bola, mas não evitou o segundo dos gaúchos. Ainda antes dos dez minutos, o Náutico ainda conseguiu colocar uma bola na trave, com Thiago batendo colocado da entrada da área.
No decorrer do jogo, a pressão alvirrubra diminuiu, algo que passou pela queda de rendimento de Jorge Henrique, peça importante na articulação do meio de campo alvirrubro. Kleina tentou adaptar o time, mas o Xavante buscava espaço e, aos 24, chegou a balançar as redes, mas o gol de Lázaro por falta sobre Fernando Lombardi. Com um maior equilíbrio no jogo, o ritmo abaixou e as equipes não conseguiram criar tantas chances de perigo real, concluindo a vitória rubro-negra.

FICHA DO JOGO

Brasil de Pelotas 2
Rafael Martins; Rodrigo Ferreira, Lázaro, Leandro Camilo e Bruno Santos (Alex Ruan); Sousa, Bruno Matias e Wellington Simião (Jarro Peroso); Matheus Oliveira (Leandro Leite), Danilo Gomes (Rafael Vinícius) e Gabriel Poveda (Guilherme Dellatorre). Treinador: Hemerson Maria.
Náutico 1
Jefferson; Hereda (Bryan), Camutanga, Fernando Lombardi e William Simões; Rhaldney, Matheus Trindade (Jhonnatan) e Jorge Henrique (Lucas Paraíba); Dadá Belmonte (Guillermo Paiva); Erick (Thiago) e Salatiel Júnior. Técnico: Gilson Kleina.
Local: Bento Freitas, em Pelotas/RS
Gols: Sousa (16’ do 1º T | BRA), Dadá Belmonte (3’ do 2º T | NAU), Gabriel Poveda (5’ do 2º T | BRA)
Cartões Amarelos: Bruno Gomes, Sousa (BRA), Matheus Trindade, Camutanga, Jorge Henrique, Thiago, Gilson Kleina (NAU)
Arbitragem: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Assistentes: Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sa e Daniel de Oliveira Alves Pereira (RJ)