Última foto pública de Maradona causou polêmica entre médico e familiares

PUBLICIDADE

A última foto pública de Diego Armando Maradona foi postada em uma rede social no dia 11. Na controversa imagem feita em um quarto de hospital, o ídolo argentino aparece de avental, com um grande curativo na cabeça e ao lado de seu médico, Leopoldo Luque. O ex-jogador, morto na quarta-feira (25), aos 60 anos, havia acabado de receber alta após ter sido operado para tratar de um hematoma na região do crânio.

De acordo com a imprensa argentina, o clique, que correu o mundo, incomodou parte dos familiares do craque, que não queriam imagens da recuperação divulgadas. “Jamais tive intenção de gerar algum conflito. Peço desculpas aos que se sentiram ofendidos. Pensei que seria uma imagem para apagar a última de Diego”, disse o médico, referindo-se às aparições dias antes de sua internação, no último dia 2 de novembro, quando o ex-atleta apareceu abatido e com dificuldades para se locomover.

Segundo o profissional, Maradona havia permitido que o clique viesse a público. “A foto foi acertada com o Diego. Quero esclarecer que não foi minha decisão. Não foi algo que decidi sozinho. Obviamente, nunca medi a magnitude da foto, a dimensão que ela teria”, afirmou.

Na ocasião, o ídolo argentino foi liberado para se recuperar em sua casa, em Tigre, região de Buenos Aires. Nesta quarta, Maradona morreu após uma parada cardiorrespiratória. O óbito foi confirmado por seu advogado, após o jornal Clarín divulgar a informação.

Maior nome esportivo da Argentina, ele nasceu no dia 30 de outubro de 1960 e cresceu no humilde bairro de Villa Fiorito, no subúrbio de Buenos Aires. O velório do ídolo começou na manhã desta quinta-feira (26), na Casa Rosada, sede da presidência, em Buenos Aires. Em meio à pandemia da Covid-19, são esperadas mais de 1 milhão de pessoas, de acordo com a imprensa do país.

Folhapress