Operação investiga desvios de recursos para obras de saúde em Salgueiro

PUBLICIDADE

Uma organização criminosa apontada como responsável por fraudes em licitações e desvio de recursos públicos na Prefeitura de Salgueiro, no Sertão de Pernambuco, é investigada pela Operação Quasar, deflagrada nesta terça-feira (15) pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Federal (MPF).

Segundo a PF, os recursos deveriam ser usados para construir unidades básicas de saúde e outras obras de infraestrutura. As somas dos valores dos contratos investigados giram em torno de R$ 3 milhões.

Nesta terça, estão sendo cumpridos sete mandados de busca e apreensão em imóveis de pessoas físicas e sedes de pessoas jurídicas, como a Prefeitura de Salgueiro, um secretário da gestão municial e um futuro vereador eleito no último pleito. As medidas são cumpridas em Salgueiro e em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

As investigações começaram em 2019. Segundo a PF, as atividades da quadrilha consistiam em fraudar licitações.

“O vencimento do certame [passava] por uma empresa de ‘fachada’, sem estrutura logística para realizar as obras contratadas e o ‘repasse’ de sua execução a empresa vinculada a pessoas ligadas ao ex-prefeito de Salgueiro e a um secretário municipal”, detalhou a polícia, em comunicado oficial. Os nomes dos envolvidos ainda não foram divulgados pela PF.

A operação contou com a participação de 20 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro e o Ministério Público Federal.

Caso os envolvidos sejam condenados, reforça a PF, os crimes cometidos podem chegar a 16 anos de reclusão.

A reportagem tentou contato com a Prefeitura de Salgueiro, mas não conseguiu retorno.