Era cilada, diz Anderson do Molejo, que poderá fazer acareação, sobre acusação de estupro

PUBLICIDADE

Acusado de estupro pelo cantor e dançarino MC Maylon, de 21 anos, o vocalista do grupo Molejo, Anderson Leonardo, de 49, confirmou ontem à polícia que fez sexo com o rapaz num motel, mas garantiu que “foi tudo consensual”. Dizendo-se vítima de uma armadilha, o pagodeiro prestou depoimento durante quatro horas na 33ª DP (Realengo). Policiais esperam um exame de DNA em uma cueca e num sabonete que, de acordo com a suposta vítima, têm vestígios de esperma e sangue que podem ajudar a comprovar o crime. Os dois poderão ser submetidos a uma acareação, informou um delegado.

O delegado Reginaldo Guilherme, que está à frente do caso, disse que Anderson teria vídeos que mostram Maylon em seus shows mesmo após o dia 11 de dezembro, data em que teria ocorrido o crime.

— O depoimento da vítima foi firme. Disse que eles foram ao motel e que houve conjunção carnal, e Anderson confirmou isso. Mas Anderson nega o estupro, e tudo leva a crer que não tenha acontecido. Vamos agora apurar tudo, pegar imagens de câmeras de segurança, aguardar o resultado da perícia no material que Maylon trouxe, ouvir mais gente e, se for preciso, faremos uma acareação entre os dois — informou o delegado.

Em dois depoimentos, Maylon alegou que tinha combinado um encontro com Anderson para discutir sua carreira artística. No entanto, em vez de irem para um clube, o vocalista do Molejo acabou entrando num motel com o rapaz. Maylon, que tem o rosto de Anderson tatuado em um braço, disse que, além de estuprado, foi agredido pelo ídolo.

Do Extra