Pelo segundo ano seguido, Caruaru sofre impactos econômicos no Dia dos Namorados

PUBLICIDADE

Mais uma vez o Dia dos Namorados, que é considerada uma das datas mais importantes no aquecimento da economia, será de frustração para comerciantes, empresários e feirantes de Caruaru. Isso porque pelo segundo ano consecutivo as atividades econômicas estão fechadas nesta época do ano, atendendo a mais um decreto do Governo do Estado, devido à pandemia da covid-19. De acordo com a professora do Centro Universitário UniFavip e economista Eliane Alves, essa situação traz fortes impactos econômicos para a Capital do Agreste.

“A nossa região é essencialmente comercial, Caruaru respira o comércio, em especial de artigos do vestuário, que é exportado para todas as regiões do país, através das suas feiras, e é, sem dúvida nenhuma, o motor que aquece a economia. E quando falamos de datas, como a do Dia dos Namorados, que é especificamente comercial, o fato de não termos o comércio aberto impacta negativamente de forma expressiva, sem dúvidas”, destaca Eliane, que também ressaltou grandes efeitos nos setores de bares e restaurantes.

“É importante frisar que outros setores que estão interligados nessa “cadeia” comercial são ainda mais impactados, como é o caso do setor de bares e restaurantes, que estão no “pacote” das comemorações dos enamorados. Este setor, que sem dúvidas nenhuma tem sido um dos mais impactados pelas medidas restritivas em função da pandemia, infelizmente vê mais uma data de possível aquecimento do setor tendo que se adequar ao “novo normal” e, assim, também se reinventar com o sistema de delivery e promoções que possam atrair consumidores e gerar faturamento para se manter e aguardar dias melhores”, conclui a docente economista.