Ex-aluna do Colégio Diocesano é ouro em Tóquio

PUBLICIDADE

A nadadora Maria Carolina Santiago conquistou hoje (29) a medalha de ouro na final dos 50m livre da classe S13 (para atletas com deficiências visuais), nas Paralimpíadas de Tóquio, obtendo também o novo recorde paralímpico com 26s82.

Em Tóquio, a atleta também foi bronze nos 100m costas na classe S12 e, com a medalha de ouro conquistada hoje, se tornou a primeira mulher do país a subir ao alto do pódio desde 2004.

A pernambucana de 36 anos nasceu em Recife e aos 12 anos veio morar em Caruaru, tendo estudado no Colégio Diocesano de Caruaru do 6° ano do ensino fundamental até a conclusão do ensino médio, período em que se descobriu nas piscinas.

Ela foi treinada pelo professor Evandro Lira e acumulou várias medalhas e recordes nos Jogos Escolares de Caruaru e de Pernambuco, bem como nos Jogos Interdiocesanos do Nordeste. “Carolina sempre foi um fenômeno e é uma satisfação imensa vê-la brilhar no mundo. O professor Evandro Lira passou 6 anos como treinador dela e lapidou o talento de Carolina na piscina. Ela enfrentou muitas dificuldades, mas com o apoio da família e sua determinação conseguiu conquistar o que realmente merece”, afirma o coordenador do Departamento de Esportes do Diocesano, Sérgio Veras.

A valorização do esporte no ambiente escolar é um dos diferenciais do Colégio Diocesano de Caruaru, que inicia um trabalho de base a partir dos 6 anos de idade. “Assim como descobrimos Carolina, tivemos outras lindas histórias no esporte, pois há 35 anos fazemos um trabalho de mãos dadas entre o pedagógico e o esporte. Os alunos com grandes médias em aprovações geralmente são atletas, o que mostra a importância da atividade física para a conquista de resultados”, explica Sérgio Veras.

Carolina retornou ao Recife para ingressar no ensino superior e daí iniciou sua carreira como atleta paraolímpica. Em sua trajetória nas piscinas, ela acumula quatro títulos internacionais com medalhas nos jogos Pan-Americanos em Lima, no Peru; e duas medalhas de ouro e duas de prata no Mundial de Londres, onde bateu o recorde mundial nos 100 m costa.