Filhote de gato-mourisco é encontrado na área urbana de Caruaru e acolhido pela CPRH

PUBLICIDADE
O Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara), unidade administrada pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH),  recebeu, na noite da quinta-feira (2), um filhote de jaguarundi ou gato-mourisco (Puma yagouaroundi) que foi encontrado em uma residência do bairro Jardim Belo Vista, no município de Caruaru, no Agreste Central.

O Filhote pertence a uma das espécies de felino silvestre de maior distribuição geográfica no país. Em Pernambuco, ocorre na Mata Atlântica e na Caatinga, sendo mais comum na Caatinga, sobretudo em áreas de vegetação arbustivo-arbórea mais densa.

Além dessa linhagem, em solo pernambucano também são encontrados as seguintes espécies: suçuarana ou onça-parda (Puma concolor), jaguatirica (Leopardus pardalis) e gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus).
O animal, inicialmente capturado por soldados do Corpo de Bombeiros Militar, foi levado para a sede da unidade de conservação Parque Natural Municipal Professor Vasconcelos Sobrinho, na Serra dos Cavalos, que acionou a CPRH para o resgate e condução para o Cetas Tangara, no Recife. Assim que chegou, o filhote recebeu os cuidados de veterinários e biólogos para ser reabilitado e, posteriormente, quando estiver crescido ser liberado na natureza, em seu habitat natural.
De acordo com o analista ambiental, Eduardo Vasconcelos, o jaguarundi tem duas padronagens: cinza-escuro ao castanho e do amarelo-escuro ao vermelho ou laranjão. Numa ninhada de uma mesma fêmea, os filhotes podem apresentar ambas as cores. “Eles também vivem em áreas mais degradadas do que os outros felinos silvestres. Isso permite que ele se aproxime de cidades sem diminuir a importância da conservação das áreas florestadas, inclusive para essa espécie”, explicou.
Diario de Pernambuco