Secretário aponta desaceleração nos casos de Covid-19 e Influenza nos últimos 15 dias

PUBLICIDADE

Houve uma desaceleração dos casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG), de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (27), o secretário de Saúde, André Longo, informou que houve 1001 (mil e uma) notificações, sendo uma redução de 16% em uma semana e 29% em 15 dias. Nesse período, houve 551 solicitações por vagas em UTI, uma queda de 18% em uma semana, e 31% em 15 dias. “Essa redução foi causada pela queda sustentada da Influenza (H3N2),que reduziu a pressão sobre a rede de saúde. Nós estamos passando por uma epidemia de H3N2, dentro da pandemia da Covid-19, e isso está em franca desaceleração, essa epidemia de H3N2”, explicou. De acordo com o secretário, a previsão é de que ao longo das próximas três semanas, cerca de 600 mil testes para detecção de Covid-19 sejam encaminhados e distribuídos aos municípios.

Durante a coletiva, o secretário explicou que a introdução da variante Ômicron no estado alterou a positividade geral da população para os casos de SRAG. “A positividade geral da Influenza está em 16% na semanada passada e agora está em 5%. Já a positividade para a Covid-19, que agora praticamente, tudo é Ômicron, já está em 37%, ou seja, de todos que a gente testa, 37% continua positivando nos Centros de Testagem”.

Reforços
O secretário reforçou o pedido para que as prefeituras municipais e a população atuem no enfrentamento da Covid-19. “Que as prefeituras assumam o seu papel para garantir o que seja necessário para que a população tenha acesso à testagem”, disse. “Pedimos a população respeito aos protocolos, como o uso correto das máscaras, lavagem das mãos, evitar aglomerações. Essas ações ajudam a diminuir a propagação e demonstram respeito às medidas e a vida, e as pessoas que amamos”.

“A Ômicron tem a capacidade de propagação muito superior às outras variantes. É uma contaminação muito rápida. Mesmo que a vacina não nos deixe livres da infecção, a doença em não vacinados pode ser um quadro muito pior, agravando hospitalização e levando a morte. Contra a ômicron, não está em dias com todas as doses, é o mesmo que está desprotegido. É preciso observar o calendário vacinal”.

Crianças
O secretário de saúde pediu que os pais e responsáveis estejam atentos ao calendário vacinal, de acordo com as idades já disponíveis. “Vacinem seus filhos. As crianças são hoje mais suscetíveis à contaminação pela Ômicron, exatamente pelo fato de muitas não estarem vacinadas. As equipes que estão na linha de frente têm apontado que a maior parte dos pacientes com casos graves, provocados pela variante Ômicron, são pessoas que não estão em dias com o seu ciclo vacinal. As vacinas não são experimentais. Elas foram testadas e dão segurança”, finaliza.

Diario de Pernambuco

PUBLICIDADE